Home | C. H. Spurgeon | Log out

Venha para o Metropolitan Tabernacle

SpurgeonTv

terça-feira, 18 de outubro de 2016

| | 0 comentários | Continue lendo

Graça Abundante (Sermão Nº 501) C. H. Spurgeon






Pregado na manhã de Domingo, 22 de março de 1863.
Por C. H. Spurgeon, no Tabernáculo Metropolitano, Newington. 

“Eu voluntariamente os amarei.” (Oséias 14:4)




quarta-feira, 12 de outubro de 2016

| | 0 comentários | Continue lendo

O Guerreiro cansado | C. H. Spurgeon | Sermão nº 235



Sermão pregado na manhã de domingo, 23 de janeiro de 1859, por C. H. Spurgeon, At The Music Hall,  Royal Surrey Gardens.


Oh Miserável homem que eu sou! Quem me livrará do corpo desta morte? Dou graças a Deus, por Jesus Cristo nosso Senhor. (Romanos 7: 24,25)


quarta-feira, 5 de outubro de 2016

| | 0 comentários | Continue lendo

Trigo no Egito ( A Fome da alma ) | C. H. Spurgeon | Sermão nº 234





Sermão pregado na na manhã de domingo, 16 de janeiro de 1859, por C. H. Spurgeon, At The Music Hall, Royal Surrey Gardens.


terça-feira, 4 de outubro de 2016

| | 0 comentários | Continue lendo

Nunca chegando ao conhecimento da Verdade.




“...aqueles que amam a tua salvação digam continuamente: Engrandecido seja Deus.” - Salmos 70:4


( Devocional feito baseado na leitura do Sermão nº 1013 de C. H. Spurgeon – pregado na manhã de Domingo, 01 de Outubro de 1871 no Tabernáculo Metropolitano ).


É uma grande pena que tantos cristão professos tenham apenas um “cristianismo”de sentimento, e são completamente incapazes de explicar e justificar a sua fé. Eles vivem pela paixão meramente humana e natural, e não  por princípio que flua coerentemente de toda a Palavra.


O “cristianismo” deles é em si uma série de paroxismos, uma sucessão de emoções. Eles foram agitados em uma determinada reunião, animados e levados por paixões, desejos naturais, entretenimento... e muitos esperam que eles tenham sido  realmente e sinceramente convertidos, mas eles não conseguiram tornar-se ao verdadeiro  discípulos que mergulham em toda a Verdade, em cada doutrina bíblia,  não são alunos, não podem dar razão da sua fé, e quando tentam, novas heresias nascem.


Eles não se sentam aos pés de Jesus (Sola Scriptura); eles não são Bereanos que buscam diariamente as Escrituras para ver se estas coisas são assim: eles estão satisfeitos com os meros rudimentos, os elementos simples. Eles agem como crianças e precisam ser alimentados para sempre com comida para crianças, pois não podem digerir o alimento sólido do Reino. Como diz Paulo: “Que aprendem sempre, e nunca podem chegar ao conhecimento da verdade.” -  2 Timóteo 3:7


Tais pessoas não discernem tantas razões para admirar e amar a salvação de Deus, como o iluminado crente ensinado pelo Espírito, sábio e maduro na Verdade...


Todos nós, homens regenerados, depois de termos recebido Cristo, meditamos muito sobre a sua pessoa abençoada, e os detalhes de seu trabalho, e os vários fluxos de bênçãos que saltam adiante da fonte central do sacrifício do Calvário. Toda a Escritura é rentável, mas especialmente as Escrituras que dizem respeito a nossa salvação e as Doutrinas da Graça.


Na vida, algumas coisas se perdem por observação e são mais admiradas quando menos compreendida; mas os ganhos do estudo do evangelho estão no extremo oposto dessa realidade: nenhum homem nascido de novo fica cansado em meditar sobre ele, nem ele encontra sua admiração diminuindo sobre a Verdade, mas aumentando diariamente em abundância.


Bem-aventurado é aquele que estuda o evangelho de dia e de noite e descobre a alegria de seu coração nele. Tal homem terá um afeto mais estável e mais intenso para ele, na proporção em que ele percebe sua excelência e glória que supera todas as coisas tênues desta vida. O homem que recebe o evangelho superficialmente e o prende como uma questão de simples impressão e nada mais, sendo incapaz de dar uma razão para a esperança que está nele, não tem o que confirmaria seu amor por Deus como verdadeiro.


Eles não podem amar o que realmente não conhecem, e o brado da salvação não pode ser ouvido pelo mundo a partir deles como o salmista declara: “...aqueles que amam a tua salvação digam continuamente: Engrandecido seja Deus.” - Salmos 70:4


MEDITAÇÃO:

Filhos de Deus não devem ser infantis no sentido de permanecer imaturos (1 Coríntios 14:20),
ou impressionáveis (Efésios 4:14) em seu pensamento,
mas eles devem ser infantis no sentido de serem imitadores de Deus (Efésios 5 : 1) e
curiosos a respeito das formas que a nova vida toma. (Efésios 5: 8, 10).

SUGESTÃO DE LEITURA ADICIONAL: Salmo 40: 1-17


Josemar Bessa


sábado, 1 de outubro de 2016

| | 0 comentários | Continue lendo

Jamais um filho de Deus verá as praias da perdição!



"Os homens juram por alguém superior a si mesmos, e o juramento confirma o que foi dito, pondo fim a toda discussão. Querendo mostrar de forma bem clara a natureza imutável do seu propósito para com os herdeiros da promessa, Deus o confirmou com juramento" - Hebreus 6:16,17


( Devocional feito baseado na leitura do Sermão nº 893 de C. H. Spurgeon – pregado na manhã de Domingo, 26 de Setembro de 1869 no Tabernáculo Metropolitano ).


Deus tem confirmado com um juramento feito por ele mesmo que todos os herdeiros da promessa serão abençoados para sempre, dizendo: Certamente abençoando te abençoarei ". Quem entre nós ousa duvidar disso?


Onde está o pecador duro, que se atreve a vir para a frente e dizer, “Eu vou impugnar o juramento de Deus"? Vamos corar diante da dúvida -  o carmesim profundo e o escarlate são brancos em comparação com o vermelho que deveria cobrir a face de cada filho de Deus se com seus corações ou doutrina, acusarem seu Pai celestial de perjúrio.  Que pecado poderia ser maior?  “Todos os herdeiros da promessa serão abençoados para sempre!” – Esse é u juramento de Deus por si mesmo. O que Ele começou ele completar em todos os que Ele chamou soberanamente.


Que a vergonha caia sobre nós! Perdoa-nos, Deus grande, esta atrocidade profunda; e que desta hora em diante possamos mantê-lo certo de que como tens jurado que aquele que soberanamente foi levado pelo Espírito  para o refúgio a Cristo deve estar seguro, que como tu prometeste, " Ninguém pode vir a mim, se o Pai, que me enviou, não o atrair; e eu o ressuscitarei no último dia.” -  João 6:44. Todos ressuscitarão perfeitos no último dia...  ou, “E esta é a vontade daquele que me enviou: que eu não perca nenhum dos que ele me deu, mas os ressuscite no último dia.” João 6:39. Nós, por isso, acreditamos nesta garantia além de qualquer dúvida.


Não duvidamos de nossa salvação mais do que duvidamos de nossa existência – uma é tão certa quanto a outra. Não pensaremos que estamos em perigo de perder nossa salvação mais do que pensaríamos que o trono de Deus está em perigo, ou a própria verdade de Deus em perigo.


Ó Crente, se levante ousadamente, pois o Senhor não pode mentir. Essas palavras soam em meus ouvidos como um sino: “É impossível que o Senhor minta!” É claro que é. Como se não bastasse a afirmação, a Palavra de Deus a reforça: “para que, por meio de duas coisas imutáveis” – Mas você acha que para aí, em duas coisas imutáveis... não, há mais: para que, por meio de duas coisas imutáveis nas quais é impossível que Deus minta” - Hebreus 6:18 – Ele acrescenta o IMPOSSÍVEL.


Pegue o acúmulo de significado, a onda de pensamento reconfortante: “para que, por meio de duas coisas imutáveis nas quais é impossível que Deus minta, sejamos firmemente encorajados, nós, que nos refugiamos nele para tomar posse da esperança a nós proposta. Temos esta esperança como âncora da alma, firme e segura, a qual adentra o santuário interior, por trás do véu, onde Jesus, que nos precedeu, entrou em nosso lugar, tornando-se sumo sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque.” - Hebreus 6:18-20 – É um brado fortíssimo de que um homem regenerado jamais poderá se perder.


Há uma força sobre a afirmação que nos parece até um pouco excessiva, como se um grande aríete fosse trazido para esmagar uma mosca, ou usar o oceano na fúria de um furacão para parar uma pena. Certamente temos muito, em vez de muito pouca evidência para a nossa fé de que um verdadeiro filho de Deus chamais verá as praias da perdição.


MEDITAÇÃO:

O Deus todo-poderoso faz o que lhe agrada (Salmo 115:3;135: 6),
mas ele não muda (Malaquias 3: 6; Tiago 1:17),
não pode negar a si mesmo (2 Timóteo 2:13) ,
não pode mentir (Tito 1: 2),
nunca deixa nem abandona seu povo (Hebreus 13: 5) e
não pode ser tentado pelo mal (Tiago 1:13).

Sugestões de leitura adicional: Tito 1: 1-4

Josemar Bessa



sexta-feira, 30 de setembro de 2016

| | 0 comentários | Continue lendo

A Livre Graça! | C. H. Spurgeon | Sermão nº 233




Sermão pregado na manhã de Domingo, 09 de Janeiro de 1859


no Music Hall, Royal Surrey Gardens.


| | 0 comentários | Continue lendo

Sem iniquidades... em apenas um dia...




“Eu tirarei a iniquidade desta terra num só dia. Naquele dia, diz o Senhor dos Exércitos, cada um de vós convidará o seu próximo para debaixo da videira e para debaixo da figueira.” - Zacarias 3:9,10


( Devocional feito baseado na leitura do Sermão nº 953 de C. H. Spurgeon – pregado na manhã de Domingo, 25 de Setembro de 1870 ).


Medite atentamente por um momento sobre essa palavra "Eu". Deixe-me ampliá-lo e traduzi-lo. O "Eu" de Jeová é um, mas três. Para começar, olhe para “a graça do Senhor Jesus Cristo ... estando sobre você”, porque é o Filho que diz:  “tirarei a iniquidade desta terra".


Ele foi colocado como a pedra única de fundamento da nossa esperança, sobre a qual sete olhos estão fixos “Porque eis aqui a pedra que pus diante de Josué; sobre esta pedra única estão sete olhos” - Zacarias 3:9


Aquele que foi esculpido com a ferramenta  mais grave quando foi pregado na cruz e seu lado foi perfurado: “eis que eu esculpirei a sua forma” - Zacarias 3:9


Isso é o que removeu a iniquidade do seu povo em um único dia, suportando a ira infinita e fazendo a propiciação ( sacrifício que remove a ira ) e trazendo uma recompensa justa e toda poderosa à glória de Deus que foi roubada em cada pecado dos que o Pai entregou a Ele.


Veja então o Crucificado; ele eleva sua mão perfurada, ele mostra seu lado aberto pela lança e ele diz: “Pecador, olhe para mim; Tirarei a sua iniquidade em um dia.” – Isso é Justificação – “Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus” - Romanos 8:1 – E uma vez feita, foi feita para sempre: “Eu tirarei a iniquidade desta terra num só dia.” - Zacarias 3:9,10


Mas, "o amor de Deus Pai... está sobre você”, pois é o Pai, que diz: “Eu tirarei a iniquidade desta terra num só dia." ( E o fez através do Filho ). O filho pródigo que retornou disse, “Pai, pequei", e foi o Pai, o mesmo Pai ofendido, que lhe diz para tirar os trapos e para matarem para ele o novilho cevado... foi o Pai que se alegrou de que o filho que estava perdido tivesse sido encontrado, e que aquele que estava morto agora estava vivo novamente; portanto, o Pai remove os pecados de seus filhos.


Mas também “a comunhão do Espírito Santo esteja sobre você", pois é o Espírito Santo também quem diz, “Eu tirarei a iniquidade desta terra num só dia." Ele traz o sangue que Jesus derramou, o Jesus que o Pai deu; ele aplica à consciência, borrifa-o sobre o coração, e faz com que aqueles que o Pai escolheu na eternidade sejam, na verdade, experimentalmente purificados aos olhos de Deus - pois foram purificados pela morte de Cristo. “Eu tirarei”.


Oh, você já se sente dentro do seu coração o poder do Espírito Santo removendo sua iniquidade em um dia? Nunca vou esquecer quando minha iniquidade foi removida; foi, aliás, em um único momento: “E jamais me lembrarei de seus pecados e de suas iniquidades.” Hebreus 10:17 – Você vê a força desse jamais? “Tendo por certo isto mesmo, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até ao dia de Jesus Cristo” -  Filipenses 1:6


MEDITAÇÃO: Pense sobre outras referências proféticas de Zacarias para um dia, quando as pessoas em Jerusalém seriam cheias do Espírito e lamentar ao olhar par aquele que foi crucificado: “Mas sobre a casa de Davi, e sobre os habitantes de Jerusalém, derramarei o Espírito de graça e de súplicas; e olharão para mim, a quem traspassaram; e prantearão sobre ele, como quem pranteia pelo filho unigênito; e chorarão amargamente por ele, como se chora amargamente pelo primogênito. Naquele dia será grande o pranto em Jerusalém”  - Zacarias 12:10,11 – como  João diz como isso se cumpriu: “E outra vez diz a Escritura: Verão aquele que traspassaram.” - João 19:37  e como isso seria uma fonte aberta para purificá-los do seu pecado e impureza: “Naquele dia haverá uma fonte aberta para a casa de Davi, e para os habitantes de Jerusalém, para purificação do pecado e da imundícia.” - Zacarias 13:1

Louve a Deus por aquela Sexta-feira todos os dias.

SUGESTÃO DE LEITURA: Salmo 103: 1-12

Josemar Bessa



quinta-feira, 29 de setembro de 2016

| | 0 comentários | Continue lendo

A ira de Deus permanece... a condição infeliz do incrédulo.




"Aquele que crê no Filho tem a vida eterna; e aquele que não crê no Filho não verá a vida; mas a ira de Deus sobre ele permanece. " - João 3:36


( Devocional feito baseado na leitura do Sermão nº 1012 de C. H. Spurgeon – pregado na manhã de Domingo, 24 de Setembro de 1871- A infeliz condição do incrédulo ).


Esta é uma parte de um discurso de João Batista. Nós não temos muitos sermões pregados por aquele poderoso pregador, mas nós temos mais do que o suficiente para provar que ele sabia como colocar o machado na raiz da árvore, pregando a lei de Deus firmemente sem rodeios para agradar corações impenitentes, e também que ele sabia como declarar o evangelho , pois ninguém poderia ter proferido frases que contenham mais claramente o caminho da salvação do que neste texto diante de nós.


Na verdade, este terceiro capítulo do evangelho segundo o evangelista João é dos mais notáveis nas Escrituras -  claro,  simples e extremamente profundo. Notável por ser ainda mais claro e mais direto do que quase qualquer outro.


João Batista era, evidentemente, um pregador que soube discriminar, que tinham um profundo discernimento – com certeza ele descriminava um ponto em que tantos falham; ele separou precisamente entre o precioso e vil, e, portanto, ele era como a boca de Deus para o povo.


Ele não os aborda como se todos estivessem perdidos nem como se todos estivessem salvos, mas ele mostra as duas classes e mantém clara a linha de demarcação entre os que temem a Deus e aqueles que não o fazem.


Ele claramente declara os privilégios do crente, ele diz que mesmo agora eles têm a vida eterna; e com igual precisão atesta sem rodeios, ( e como é comum hoje pregadores usarem rodeios), o triste estado da vida descrente, ele 'não verá a vida; mas a ira de Deus sobre ele permanece. "


João Batista seria extremamente útil para instruir mais pregadores cristãos. Todo verdadeiro pregador, como João Batista,  deveria, dar testemunho da verdade de forma mais clara possível, mas há muitos que confundem o evangelho, que ensinam a filosofia, que pregam uma confusão entre humanismo secular e misticismo... ou uma confusão que não é nem lei nem evangelho; e esses poderiam muito bem ir à escola com esse pregador áspero do deserto, e aprender com ele a clamar, "Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo."


MEDITAÇÃO: Considere alguns outros versículos que destacam o contraste entre aqueles que foram levados pelo Espírito a crer em Cristo e aqueles que não o fazem (Marcos 16:16; João 3:18; 1 Pedro 2: 6-8; 1 João 5: 10-12 ). Todos estão em um dos dois grupos. Se você ainda está no grupo errado, a oportunidade de mudar de lado, colocando sua fé no Senhor Jesus Cristo ainda está aberta para você (João 5:24).


Sugestões de leitura adicional: Mateus 3: 1-12

Josemar Bessa.




Related Posts with Thumbnails