Home | C. H. Spurgeon | Log out

Venha para o Metropolitan Tabernacle

SpurgeonTv

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Eu te Escolhi - C. H. Spurgeon

/ On : 18:47/ SOLA SCRIPTURA - Se você crê somente naquilo que gosta no evangelho e rejeita o que não gosta, não é no Evangelho que você crê,mas, sim, em si mesmo - AGOSTINHO.

Tu és o meu servo, eu te escolhi. (Isaías 41.9)

A graça de Deus em nossos corações nos tornou servos dEle. Talvez sejamos servos infiéis e, certamente, somos indignos. Apesar disso, somos servos de Deus, alimentando-nos em sua mesa e obedecendo as suas ordens. Antes, éramos servos do pecado. Aquele, porém, que nos libertou nos tomou como membros de sua família e nos ensinou a obedecer a sua vontade. Não servimos perfeitamente ao nosso Senhor, mas nós o faríamos, se pudéssemos. Quando ouvimos a voz de Deus, dizendo-nos: "Tu és o meu servo", podemos responder juntamente com Davi: "Deveras sou teu servo... quebraste as minhas cadeias" (Salmos 116.16).

O Senhor não nos chama apenas seus servos, mas também seus escolhidos. Nós não O escolhemos primeiro, mas Ele nos escolheu. Os olhos da soberania nos escolheram, e a voz da graça imutável declarou: "Com amor eterno eu te amei; por isso, com benignidade te atraí" (Jeremias 31.3). Muito antes do tempo iniciar-se e de o espaço ter sido criado, Deus escreveu sobre o seu próprio coração os nomes de seu povo eleito. Ele os escolheu para serem conformados à imagem de seu Filho e os designou como herdeiros de toda a plenitude de seu amor, graça e glória. Deus entendia que nosso coração era mau; contudo, apesar disso, Ele fez a escolha.

Nosso Salvador não nos ama com volubilidade. Ele não se sente encantado por um momento, por causa de algum resplendor de beleza nos olhos da Igreja e, depois, a rejeita por causa de sua infidelidade. Não, o Senhor Jesus a desposou desde a eternidade. Está escrito a respeito de Jeová: "O SENHOR, Deus de Israel, diz que odeia o repúdio" (Malaquias 2.16). A escolha eterna é um elo que prende nossa gratidão à fidelidade de Deus, um elo que nenhum de nós pode rejeitar.

1 comentários:

Ivan P. Guedes disse...

Tive o privilégio de ser inserido na literatura de Charles Spurgeon aos quinze anos. Desde então tenho aprendido muito com este querido irmão em Cristo.
Parabéns por este precioso e indispensável blog e que Deus mantenha sobre você a Sua bênção!
http://reflexaobiblica.spaceblog.com.br/

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails