Home | C. H. Spurgeon | Log out

Venha para o Metropolitan Tabernacle

SpurgeonTv

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Toda sorte de Benção Espiritual - C. H. Spurgeon

/ On : 11:38/ SOLA SCRIPTURA - Se você crê somente naquilo que gosta no evangelho e rejeita o que não gosta, não é no Evangelho que você crê,mas, sim, em si mesmo - AGOSTINHO.

Que nos tem abençoado com toda sorte de bênção espiritual.
(Efésios 1.3)

Toda a bondade do passado, do presente e do futuro Cristo outorga ao seu povo. Nas misteriosas eras passadas, Jesus foi o primeiro eleito de seu Pai. Em sua eleição, Ele nos deu uma vantagem, pois fomos escolhidos "nele, antes da fundação do mundo" (Efésios 1.4). Desde toda a eternidade, Ele tem as prerrogativas de filiação, como Unigênito do Pai e Filho muito Amado. Ele, nas riquezas de sua graça, por meio da adoção e da regeneração, tem nos elevado à filiação também; assim, tem dado aos homens "o poder de serem feitos filhos de Deus" (João 1.12). A aliança eterna, fundamentada no penhor e confirmada por juramento, nos pertence, como forte consolação e segurança. Nas eternas determinações da sabedoria predestinadora e do decreto onipotente, os olhos do Senhor Jesus se fixaram em nós, para sempre.

Podemos descansar certos de que em toda a história por vir, não há sequer uma linha que diminua os interesses de seus redimidos. O grande noivado do Príncipe da Glória é nosso noivado, pois Ele é nosso noivo, conforme logo declararão as bodas sagradas a um universo em assembléia.

A maravilhosa encarnação do Deus do céu, com toda a admirável condescendência e humilhação que a acompanharam, é nossa. O suor de sangue, o açoite, a cruz são nossos para sempre. Quaisquer benditas conseqüências que resultem da perfeita obediência, da expiação consumada, da ressurreição, da ascensão ou da intercessão, são nossas por intermédio do próprio dom do Senhor Jesus.

Sobre o seu peitoral, o Senhor Jesus leva agora os nossos nomes. Em suas intercessões oficiais diante do trono, Ele lembra de nós e defende nossa causa. Ele utiliza o seu domínio sobre os principados e potestades e sua majestade absoluta no céu em favor daqueles que creram nEle. A elevada posição do Senhor Jesus está ao nosso serviço, tanto como esteve a sua condição de abatimento. Aquele que, por nós, se entregou às profundezas da morte e do infortúnio, não remove os nossos privilégios agora que está entronizado nos mais altos céus.

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails