Home | C. H. Spurgeon | Log out

Venha para o Metropolitan Tabernacle

SpurgeonTv

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Desejo Vão - C. H. Spurgeon

/ On : 10:30/ SOLA SCRIPTURA - Se você crê somente naquilo que gosta no evangelho e rejeita o que não gosta, não é no Evangelho que você crê,mas, sim, em si mesmo - AGOSTINHO.



“E eis que tudo era vaidade e desejo vão”

Eclesiastes - 1:14

Nada tem como satisfazer plenamente a totalidade dos desejos que emergem do coração do homem. Apenas Deus com seu amor inundante e transbordante. Muitos dos santos já tentaram antes ancorar suas vidas em outras ruelas de vida, mas desde logo sentiram uma imensa vontade de saírem fugindo desses sub-reinos de total engano de alma.

A Salomão, o mais sábio de todos os homens, foi dado a experimentar muitos dos prazeres da carne que a nada levam. Ele fez isso por nós, para que viéssemos a saber por ele o desvario que tal vida é de fato. Eis aqui o seu próprio testemunho em palavras suas:

“Assim me engrandeci, e me tornei mais rico do que todos os que houve antes de mim em Jerusalém; perseverou também comigo a minha sabedoria. (10) E tudo quanto desejaram os meus olhos não lho neguei, nem privei o meu coração de alegria alguma; pois o meu coração se alegrou por todo o meu trabalho, e isso foi o meu proveito de todo o meu trabalho. (11) Então olhei eu para todas as obras que as minhas mãos haviam feito, como também para o trabalho que eu aplicara em fazê-las; e eis que tudo era vaidade e desejo vão, e proveito nenhum havia debaixo do sol”, Ecl. 2:9-11. “Vaidade de vaidades, diz o pregador; vaidade de vaidades, tudo é vaidade”, Ecl 1:2.

O quê? É tudo em vão? Como é que um Monarca sobejamente favorecido em tudo pode falar assim? Porquê? Não existe nada que não seja desejo vão nas riquezas? Nada de bom em ser Rei desde o Jordão até ao mar da nação mais justa sobre toda a terra na altura? Nada que não parecesse vão no seu glorioso palácio forrado a ouro? Nada feito em madeira do Líbano se aproveita? Toda a música, nenhuma das mil mulheres com quem se desposou, todo aquele luxo e nada de bom havia em tudo aquilo? Impossível! Mas, caro leitor, é um facto que ele diz “Nada, tudo é uma enfadonha ocupação dos filhos dos homens”!

Este foi todo o seu veredicto final sobre todas estas coisas. Embarcar dentro de todo aquele amor do Senhor Jesus, estar em plena comunhão com Ele apenas – isso sim, é o tudo de todas as coisas.

Amigo leitor, não vá experimentar todas estas coisas pensando que elas sejam de maior valor alimentar que todos os preceitos cristãos que estejam em conformidade com a Bíblia. Nada se lhe equipara. Pode sair rumo ao mundo inteiro e achará suspiros e lamentos para herdar – nada mais! Vai suspirar até chegar ao ponto de desejar ver a face do seu criador pessoalmente, vendo então quão miserável é um ser sem Vida, sem Cristo nele mesmo. Mas caso consiga o Senhor em seu coração, até pode vir a apodrecer numa gruta, num cárcere subterrâneo, morrer de peste e fome, mas sua alma se sentirá satisfeita com a única coisa que lhe falta para ser feliz em toda a sua existência: Jesus Cristo em pessoa. “O Senhor é meu pastor, nada me faltará!”

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails