Home | C. H. Spurgeon | Log out

Venha para o Metropolitan Tabernacle

SpurgeonTv

terça-feira, 13 de março de 2012

Deseje ser o menor - C. H. Spurgeon

/ On : 09:30/ SOLA SCRIPTURA - Se você crê somente naquilo que gosta no evangelho e rejeita o que não gosta, não é no Evangelho que você crê,mas, sim, em si mesmo - AGOSTINHO.


“A mim, o mínimo de todos os santos, me foi dada esta graça de anunciar aos gentios as riquezas inescrutáveis de Cristo”. 
Ef. 3:8


O Apostolo Paulo sentia que era para ele um enorme privilégio poder pregar todo o evangelho. Não olhava para seu ministério entre os gentios como algo penoso e árduo, mas penetrou nele com enorme entusiasmo e espontaneidade. No entanto, Paulo por muito agradecido que estivesse quanto ao seu novo ofício, seu sucesso sempre lhe seria uma humilhação.


Quanto mais cheio estiver um vaso, mais fundo se tornam suas águas. Pessoas vãs podem mesmo ser indulgentes nesta questão de conceitos e preconceitos sobre habilidades, pois nunca são provados pelas mesmas. Mas qualquer obreiro sério e seriamente locomovido, logo aprende a arte das suas próprias fraquezas. Caso busque ser humilde, experimente trabalhar arduamente. Quando conseguir considerar sua inutilidade total, tente então fazer algo grandioso por Jesus.


Se sentir que é completamente inoperante, será porque está separado de seu Deus por inteiro. Experimente em especial pregar as riquezas deste evangelho em Cristo e logo saberá quão pequeno e insignificante você é realmente, mediante tão enorme grandiosidade diante de si. Sendo o apóstolo conhecedor de suas próprias incapacidades e as confessasse aos sete ventos da terra, estava perplexo quanto a ser objeto de tão grande ministério. Desde seu primeiro sermão até ao seu ultimo, Paulo pregou apenas Cristo e nada mais que Cristo.


Ele elevou bem alto a cruz, exaltando o Filho de Deus sobre ela. Siga seu exemplo em todos os seus mais remotos sacrifícios, para que seja espalhada a mensagem de Cristo e que “Cristo crucificado” seja também seu único tema e motivo de seu discurso. Todo crente deveria ser como aquelas flores de primavera as quais, quando sai o sol, abrem suas pétalas douradas como que dizendo “Enche-nos com teus raios de luz e crescimento”. Mas quando o sol se esconde por detrás duma nuvem que passa, elas encerram seu esplendor e baixam suas cabecinhas.


Assim deveria qualquer crente sentir a doce influência de Cristo em toda a sua vida. Jesus tem necessariamente de ser seu sol na totalidade e você como uma flor que acolhe sem preconceitos todos os seus raios de Justiça. Ó, só o falar de Cristo, esse é o tema real o qual é sempre “semente ao que semeia e pão para quem come” 2Cor 9:10. Este é aquela brasa de fogo vivo que recai sobre os lábios de quem se pronuncia, a chave mestra do coração de todo o ouvinte.


0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails