Home | C. H. Spurgeon | Log out

Venha para o Metropolitan Tabernacle

SpurgeonTv

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Uma corrente inquebrável - C. H. Spurgeon

/ On : 09:30/ SOLA SCRIPTURA - Se você crê somente naquilo que gosta no evangelho e rejeita o que não gosta, não é no Evangelho que você crê,mas, sim, em si mesmo - AGOSTINHO.



"Pois com amor eterno te amei, com amorável benignidade te atraí" (Jer. 31:3). Que palavras maravilhosas — "amor eterno, amorável benignidade"! Como podemos pensar que Ele nos deixará, visto que nos ama de tal maneira? Leiam Romanos 5:10- "Porque se nós, sendo inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho, muito mais, estando já reconciliados, seremos salvos pela sua vida". Estas palavras significam que, se Deus nos trouxe de volta à Ele quando éramos inimigos, através da morte de Seu Filho, Ele não nos abandonará agora que somos Seus amigos.



Leiam também Romanos 8:29-30 que são versículos belíssimos. "Porque os que dantes conheceu também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos. E aos que predestinou a estes também chamou; e aos que chamou a estes justificou; e aos que justificou a estes também glorificou". Como dissemos anteriormente, as doutrinas da graça são como uma corrente que não pode ser quebrada. A Palavra diz isto de maneira bem sublime. "Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica. Quem os condenará? Pois é Cristo quem morreu, ou antes quem ressuscitou dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós. Quem nos separará do amor de Cristo?" (Rom. 8:33-35).



Novamente, nós lemos: "Tendo por certo isto mesmo, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até ao dia de Jesus Cristo" (Fil. 1:6). Esta passagem resume tudo que estamos tentando dizer. Deus continuará com a obra que Ele começou em nós até que ela esteja terminada.



Nossa união espiritual com Cristo é comparada à união matrimonial. Cristo é o noivo. O corpo todo de crentes, a Igreja, é a noiva. Cristo não irá, nem pode, divorciar-Se da noiva. Oséias diz: "E desposar-te-ei comigo para sempre..." (Os. 2:19). Esta união é explicada de uma outra forma. Nós somos o corpo, Cristo é a cabeça do corpo. Como podem os dois ser separados?



Ainda mais, foi dado o Espírito Santo a todos os escolhidos de Deus. Esta é a maior evidência que eles formam um povo redimido, comprado. O Espírito Santo é um sinal vivo de que Deus os reivindicou para Si. A palavra usada pelo apóstolo descreve o Espírito como um selo. Isto mostra a segurança completa da pessoa que está selada até que toda a obra de redenção nela seja concluída e ela chegue ao céu. O Espírito Santo, que vive em nós, nos guardará até aquele dia. O melhor é usar as palavras do apóstolo Paulo à Timóteo: "E o Senhor me livrará de toda a má obra, e guardar-me-á para o Seu reino celestial..." (II Tim. 4:18). Com corações confiantes devemos dizer com Paulo "Amém".

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails