Home | C. H. Spurgeon | Log out

Venha para o Metropolitan Tabernacle

SpurgeonTv

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Os santos não vêem escravidão na santidade - C. H. Spurgeon

/ On : 11:39/ SOLA SCRIPTURA - Se você crê somente naquilo que gosta no evangelho e rejeita o que não gosta, não é no Evangelho que você crê,mas, sim, em si mesmo - AGOSTINHO.


"E andarei em liberdade, pois eu busco teus preceitos."

Salmo 119.45


Os santos não vêem escravidão na santidade. O Espírito de santidade é um espírito livre; ele põe os homens em liberdade e os capacita para que resistam todo empenho para serem trazidos em sujeição.

O caminho da santidade não é uma pista para escravos, mas a rodovia do Rei para homens livres que jubilosamente viajam do Egito da servidão para a Canaã do repouso perene. As misericórdias de Deus e sua salvação, ao ensinar-nos a amar os preceitos da Palavra, nos põem em deleitoso descanso; e quanto mais buscarmos a perfeição de nossa obediência, mais desfrutaremos a completa emancipação de toda forma de servidão espiritual.

Davi em certa época de sua vida se viu em grande servidão por haver seguido uma política tortuosa. Ele enganou Aquis tão persistentemente que foi levado a atos de ferocidade a fim de ocultar a fraude, o que o teria feito sentir-se infeliz em sua inusitada posição como aliado dos filisteus e capitão da guarda de seu rei. Ele teria temido que, através de seu fracasso nas tortuosas veredas da falsidade, a verdade não mais estivesse em sua língua, e portanto orou para que Deus, de alguma forma, operasse seu livramento e o libertasse de tal escravidão. Por meio de coisas terríveis, com justiça, o Senhor respondeu a Ziklague: a rede foi rompida, e ele escapou.


O versículo está unido ao que vem antes; pois ele começa com a palavra: 'E', a qual funciona como um gancho para ligá-lo aos versículos precedentes. Ele faz menção de outro dos benefícios esperados da chegada das misericórdias de Deus. O homem de Deus mencionou o silêncio de seus inimigos (v. 42), o poder para dar testemunho (v. 43) e a perseverança em santidade; agora ele habita em liberdade, a qual, associada à vida, é a mais desejada de todos os homens bravos. Diz ele: 'andarei', indicando seu progresso diário pela vida a fora; 'em liberdade', como alguém fora da prisão, desimpedido dos adversários, desvencilhado dos fardos, desalgemado, com uma ampla visão e pairando sem medo.

Tal liberdade seria perigosa se uma pessoa visasse a si própria e a seus próprios prazeres; mas quando o único objeto buscado é a vontade de Deus, não pode haver necessidade de constranger a quem busca. Não é preciso circunscrever a quem pode dizer: "Eu busco teus preceitos." Observe, no versículo precedente, que ele disse que guardaria a lei; aqui, porém, ele fala de buscá-la. Não tem ele em mente que obedeceria o que conhece, e se empenharia em conhecer mais? Não é esse o caminho para a mais elevada forma de liberdade - estar sempre labutando por conhecer a mente de Deus e conformar-se a ela? Aqueles que guardam a lei estão certos de buscá-la, e afana-se em guardá-la mais e mais.

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails