Home | C. H. Spurgeon | Log out

Venha para o Metropolitan Tabernacle

SpurgeonTv

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Aquele maldito e velho baú – C. H. Spurgeon

/ On : 10:30/ SOLA SCRIPTURA - Se você crê somente naquilo que gosta no evangelho e rejeita o que não gosta, não é no Evangelho que você crê,mas, sim, em si mesmo - AGOSTINHO.




Houve um capitão, cujo nome eu não vou dar na íntegra agora, vou chamá-lo de Mitchell, pois isso será suficiente. Este capitão era um homem temente a Deus, e uma vez ele foi para o mar deixando a esposa em casa esperando em breve para dar à luz a seu filho primogênito. 


Enquanto ele estava no mar, um dia, um momento profundamente solene veio sobre ele, no curso do qual ele escreveu uma oração. Esta oração era por sua esposa e por seu filho ainda por nascer. Ele colocou a oração no baú de carvalho em que ele guardava seus papéis. Ele nunca mais voltou para casa novamente, pois ele morreu no mar naquela viagem. Seu baú foi levado para casa para sua esposa, ela não o abriu ou olhou os papéis, mas ela pensou que poderia ser de utilidade para seu filho quando ele estivesse adulto. 


Quando seu  filho completou a idade de dezesseis anos, ele se juntou a um regimento em Boston. Nesse regimento ele se tornou extremamente debochado, profano, blasfemo e pecador em todos os sentidos mais vis. Na idade de cinqüenta e quatro anos, ele estava vivendo em pecado com uma mulher tão ímpia quanto ele. Mas golpeou-lhe o desejo de olhar através do conteúdo do velho baú que seu pai havia deixado para le. Ele o abriu, e, no fundo do baú, encontrou, amarrado com uma fita vermelha, um papel - na parte externa estava escrito, "A oração de Mitchell K______ para sua esposa e filho" 


Abriu-a, e ao ler, era um apelo profundamente fervoroso a Deus para que a esposa e o seu filho por nascer pudessem pertencer a Cristo – A carta fora escrito 54 anos atrás, e antes que a criança nascesse. O filho fechou a carta e a colocou onde estava antes, e disse que ele não iria olhar nunca mais para "aquele maldito e velho baú" novamente. 


Mas isso não importava mais, a oração tinha chegado ao seu coração, e ele não poderia bloquear sua coração naquele peito. Ele tornou-se completamente infeliz, e a mulher com quem ele vivia também. Ela lhe perguntou qual era o problema com ele. Ele disse a ela o que tinha lido na carta, e ela disse que esperava que ele não se tornasse um hipócrita piegas. Mas agora, todas as piadas e frivolidades de seus companheiros não poderiam tirar o dardo que Deus havia enviado em seu coração, e, dentro em breve, pelo verdadeiro arrependimento e pela fé viva, aquele homem estava em Cristo,  uma alma salva, casado com honra com a mulher com quem vivia em pecado, e andando em retidão, servindo a Deus de seu pai, como o resultado de uma oração que tinha ficado em um velho baú por 54 anos, mas que o olho de Deus tinha visto o tempo todo, e que, finalmente, ele havia respondido quando o tempo certa tinha chegado. 


Esforçai-vos, vós todos os que estão pedindo por seus filhos, pois Deus ainda vai responder às suas súplicas. Como um dos antigos teólogos disse: "A oração é a corda que pende sobre a terra, e não há um sino no céu que ela toque que Deus não ouça" Puxe a corda novamente esta noite, orando,  pai e mãe. Faça o grande sino no céu tocar de novo e de novo, e deixe suas notas soarem: "Salve meus filhos; salve o meu marido; salve minha esposa; salve meu irmão... Que minha irmã viva diante de ti" - Suas orações serão ouvidas, e Deus ainda concederá seus pedidos.

Não há nenhuma verdade matemática que tenha sido mais plenamente demonstrada do que o fato na experiência real de que Deus ouve a oração.

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails