Home | C. H. Spurgeon | Log out

Venha para o Metropolitan Tabernacle

SpurgeonTv

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Não quero ter mais compaixão do que Cristo - C. H. Spurgeon

/ On : 10:55/ SOLA SCRIPTURA - Se você crê somente naquilo que gosta no evangelho e rejeita o que não gosta, não é no Evangelho que você crê,mas, sim, em si mesmo - AGOSTINHO.




Essa ilustração se aplica a todos nós. Quase todos nós usamos o nome de cristãos professos; vivendo na Inglaterra, você consideraria uma desgraça se não fosse chamado de cristão. Você não é pagão, não é infiel, não é nem muçulmano nem judeu. Você acha que o nome cristão lhe é devido, e você o assumiu. Pois você pode ter certeza de que ser chamado de cristão não equivale a ter natureza de cristão, e que o fato de ter nascido num país cristão, e ser conhecido como alguém que professa a religião cristã, não é garantia nenhuma se não lhe for acrescentado mais alguma coisa — ser nascido de novo como súdito de Jesus Cristo.


   Mas — diz o índio, — estou disposto a renunciar às minhas roupas típicas para vestir-me como um inglês. Vou me adaptar em tudo; você não verá nenhuma diferença em relação à maneira usual neste país. Quando eu tiver me vestido como manda a etiqueta, poderei vir à presença do rei? Veja, não vou brandir a machadinha, vou tirar estas penas e roupas de couro, vou jogar fora meus mocassins para sempre. Sou inglês de nome e na maneira de ser.


Ele se aproxima do portão vestido como um inglês, mas este continua fechado, porque a lei exige que ele tenha nascido neste país; sem isto, não importa como ele se veste, ele não pode entrar no palácio. Assim também, quantos de vocês, além de assumir o nome de cristão, também adotaram um comportamento cristão? Vocês vão às suas igrejas e cape­las, freqüentam a casa de Deus, cuidam que sua família siga alguma forma de religião; seus filhos não ficam sem ouvir o nome de Jesus! Até aí tudo bem. Deus não permita que eu diga alguma palavra contra isso. Mas lembrem: isso não vale nada se vocês não vão além. Tudo isso não serve de nada para granjear admissão no reino do céu se não for acompanhado de — ser nascido de novo. Sim! Vocês podem se vestir com a pompa da vida cristã, colocar o chapéu da benevolência, cingir-se de integridade, vestir os sapatos da perseverança e ca­minhar pela terra como pessoas honestas e direitas; mas lem­brem-se, se não forem nascidos de novo, "o que é da carne é carne", e você, que não tem o Espírito atuando em você, ainda tem as portas do céu fechadas porque não nasceu de novo.


     Está bem — diz o índio, — não só adotarei a ma­neira de vestir, mas aprenderei a língua. Deixarei minha lín­gua, o dialeto que eu falava nos campos e florestas da minha terra. Não usarei mais o xu-xu-gá e os outros nomes estranhos com que chamava os pássaros selvagens e os animais, e vou falar como vocês falam e agir como vocês agem. Vou vestir-me como vocês se vestem, adotar suas maneiras, falar do mesmo jeito, aprender seu sotaque e a gramática certa; então, pode­rei entrar? Fiquei completamente anglicizado; não posso ser recebido?


— Não — diz o guarda na porta, — só admitimos pes­soas nascidas neste país; você não pode entrar.

O mesmo acontecerá com alguns de vocês. Vocês falam como cristãos, talvez com um tom um pouco forçado. Vocês começaram a imitar tão bem que se consideram espirituais até um pouco mais que os outros, e vocês se esforçam tanto que exatamente por isso podemos perceber a falsificação. Mas para as pessoas em geral vocês parecem ser o tipo certo de cristão. Vocês estudaram biografias, e às vezes contam histórias sobre sua experiência com Deus. Vocês as copiaram das biografias de bons cristãos; vocês andaram com cristãos e sabem como eles falam. Talvez vocês até têm um jeito puritano; vocês andam pelo mundo como professores; quem os observasse, não perceberia a diferença. Vocês são membros da igreja, foram batizados, parti­cipam da Ceia do Senhor, talvez até sejam diáconos ou presbíteros, estendem o cálice para os outros. Vocês são tudo o que cristãos podem ser, só que não têm um coração cristão. Vocês são sepulcros caiados, cheios de podridão por dentro, mesmo que bem enfeitados por fora. Tomem cuidado! É impressionante como um pintor pode chegar perto da expressão da vida, e mesmo assim a tela está morta e sem movimento; é igualmente impres­sionante como alguém pode chegar perto de ser cristão e ser excluído do céu pela regra absoluta, por não ser nascido de novo. Com toda sua profissão de fé, com toda a pompa da sua alegada vida cristã e com todas as plumas esplêndidas da experiência, ele tem de ser afastado dos portões do céu.


"Você não tem compaixão, Sr. Spurgeon." Não me importo com o que você está dizendo. Não quero ter mais compaixão do que Cristo. Não fui eu quem disse essas coisas: foi Cristo. Se você tem algum problema com ele, resolva-o aqui. Não sou eu quem fiz esta verdade, apenas sou seu porta-voz. Eu achei isto escrito: "Se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus."

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails