Home | C. H. Spurgeon | Log out

Venha para o Metropolitan Tabernacle

SpurgeonTv

terça-feira, 17 de junho de 2014

Não me deixes fugir! | C. H. Spurgeon

/ On : 11:50/ SOLA SCRIPTURA - Se você crê somente naquilo que gosta no evangelho e rejeita o que não gosta, não é no Evangelho que você crê,mas, sim, em si mesmo - AGOSTINHO.

De todo meu coração te busquei – (Sl 119.10). Seu coração saíra em busca de Deus como tal; não só desejava obedecer a suas leis, mas também comungar com sua pessoa. Essa é uma busca real, justa e persistente, e pode muito bem ser continuada de todo o coração. O modo mais seguro de purificar o caminho de nossa vida é buscando a Deus como tal e diligenciando-nos em permanecer em comunhão com ele.


E agradável ver como o coração do escritor se volve distinta e diretamente para Deus. Ele estiver a considerando uma importante verdade no versículo anterior; aqui, porém, ele mais poderosa­mente sente a presença de seu Deus, e lhe fala e ora a ele como alguém que se encontra bem perto. Um coração sincero não pode viver por muito tempo sem comunhão com Deus.


Sua petição se fundamenta no propósito de sua vida; ele está buscando o Senhor e roga a que o Senhor não permita que ele desista de sua busca. E através da obediência que vamos após Deus; daí a oração: "Não me deixes fugir de teus mandamentos." Pois se desistirmos dos caminhos designados por Deus, certamente não acharemos o Deus que os designou. Quanto mais a totalidade do coração humano é posta na santidade, mais ele teme cair em pecado. Ele não se sente suficientemente temeroso de cometer transgressão deliberadamente quando não passa de um viandante displicente. Ele não pode tolerar um aspecto displicente nem um pen­samento disperso que vagueia para longe dos limites do preceito. Devemos ser como os que sinceramente buscam a Deus, os quais não têm tempo nem vontade de perambular, e juntamente com nossa sinceridade devemos cultivar um zeloso temor para não va­guearmos longe da vereda da santidade.


Duas coisas podem ser bem parecidas e ao mesmo tempo total­mente distintas: os santos são 'peregrinos' - "Sou peregrino na terra" (v. 19) -, mas não são andarilhos; estão de passagem pelo país dos inimigos, mas sua rota segue em frente; estão buscando seu Senhor enquanto atravessam essa terra estrangeira. Seu caminho não é visto pelos homens; porém ainda não perderam sua rota.


O homem de Deus se exercita, mas não confia em si mesmo; seu coração está em seu caminhar com Deus; mas ele sabe que mesmo toda sua força não basta para mantê-lo no rumo certo, a menos que seu Rei seja seu guardador; e Aquele que fez os mandamentos o fará perseverante em obedecê-los; daí a oração: "Não me deixes fugir” - Não obstante, tal senso de carência jamais se converteu em apologia da indolência; pois enquanto orava para ser guardado na rota certa, ele se precavia para percorrê-la, buscando o Senhor com todas as forças de seu coração.



0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails