Home | C. H. Spurgeon | Log out

Venha para o Metropolitan Tabernacle

SpurgeonTv

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Você realmente se alegra em Deus? | C. H. Spurgeon

/ On : 12:27/ SOLA SCRIPTURA - Se você crê somente naquilo que gosta no evangelho e rejeita o que não gosta, não é no Evangelho que você crê,mas, sim, em si mesmo - AGOSTINHO.



Tu, que és Rei dos reis e Senhor dos senhores, nós te adoramos.

Perante o trono de esplendor,
Com alegria e louvor,
nós nos prostramos.

Podemos dizer de verdade que nos alegramos em Deus. Houve um tempo em que temíamos a ti, ó Deus, com o temor de um escravo. Agora te reverenciamos, mas tanto quanto te amamos. Pensar em tua onipresença antes era horrível para nós. Dizíamos: "Para onde fugirei da tua face?" (Sl 139.7) e o inferno parecia tornar-se ainda mais pavoroso ao ouvirmos: "Se faço a minha cama no mais profundo abismo, lá estás também." Porém agora, Senhor, desejamos te encontrar. Ansiamos por sentir a tua presença e é no supremo céu que tu estás. O leito do enfermo se faz macio quando lá estás. O fogo da aflição esfria quando lá estás e a casa de oração torna-se nada menos que a casa de Deus com a tua presença, e é o portão para o próprio céu.

Aproxima-te, Pai nosso, aproxima-te mais dos teus filhos. Alguns de nós somos mui frágeis no corpo e de coração débil. Repousa, ó Deus, tua mão direita sobre nós e dize-nos: "Não temais." Talvez alguns de nós ainda sejam semelhantes ao mundo e por isso somos atraídos por ele. Chega mais perto, Senhor, para pôr fim à influência do mundo com teu poder supremo.

Até a adoração pode não ser fácil para alguns, pois o dragão parece perseguir teus filhos, e a enxurrada que sai da boca dele leva embora a sua devoção. Concede-lhes asas grandes como as da águia, para que cada um possa voar para o lugar preparado para si e descansar na presença de Deus hoje.

Pai nosso, vem agora dar descanso aos teus filhos. Tira o capacete de nossas cabeças, alivia-nos do peso da armadura por um instante, para gozarmos de plena paz, perfeita paz, e termos descanso. Ajuda-nos, Senhor, agora. Como outrora lavaste teu povo na fonte de sangue, tornando-o limpo, lava-nos em água, nesta manhã, da contaminação do pecado. Com uma bacia e com uma toalha, ó Mestre, lava-nos os pés novamente para restaurar-nos o vigor e nos preparar para uma comunhão mais íntima contigo, como os sacerdotes faziam antes de adentrar o santuário.

Senhor Jesus, retira de nós tudo o que possa impedir a comunhão íntima com Deus. Pedimos que removas qualquer desejo ou vontade que seja um empecilho à oração. Tira toda lembrança de tristeza ou preocupação que dificulte a concentração total do nosso amor em Deus. O que temos a ver com os ídolos? Tu nos observas e sabes onde reside nossa dificuldade; ajuda-nos a superá-la, a fim de entrarmos não somente no santuário, mas também no Santo dos santos, onde não nos atreveríamos a entrar se o grandioso Senhor não tivesse rasgado o véu, aspergido a arca da aliança, símbolo da sua presença amorosa, com seu sangue e nos convidado a entrar.

Agora, aproximamo-nos de ti, da luz que brilha entre as asas dos querubins, e falamos contigo como com um amigo. Nosso Deus, a ti pertencemos. E tu pertences a nós. Concentramo-nos no mesmo assunto, estamos ligados pela mesma causa. Tua batalha é também a nossa batalha, e a nossa luta é a tua. Ajuda-nos, te rogamos. Tu, que deste forças a Miguel e seus anjos para expulsarem o dragão e seus anjos, ajuda a nós, que somos só de carne e osso, para que se cumpra em nós a palavra: "O Deus da paz, em breve, esmagará debaixo dos vossos pés a Satanás." (Rm 16.20).

Pai nosso, nós somos frágeis. O pior de tudo é que somos mui ímpios, se entregues a nós mesmos, e logo nos tornamos vítimas do inimigo. Por isso carecemos de tua ajuda. Confessamos que, às vezes, quando estamos em oração e mais perto de ti, maus pensamentos nos sobrevêm e desejos impuros. Ah! Que infelizes e tolos nós somos! Ajuda-nos, ó Senhor. Sentimos que agora estamos mais próximos de ti, escondidos sob a sombra das tuas asas. Desejamos nos perder em Deus. Oramos que Cristo viva em nós e se revele em nós e por meio de nós.

Santifica-nos, ó Senhor. Que o teu espírito venha e preencha cada capacidade, contenha cada paixão e use toda a força da nossa natureza para obedecermos a Deus.

Vem, Espírito Santo, nós te conhecemos; muitas vezes nos protegeste. Vem em toda plenitude e toma posse de nós. Diante de ti no santo dos Santos, nossa súplica é por santidade perfeita, consagração completa e purificação total de todo o pecado. Toma os nossos corações, as nossas cabeças, as nossas mãos, os nossos pés e utiliza-os todos para ti. Senhor, toma os nossos bens, não permite que os acumulemos para nós mesmos nem que os gastemos para nós mesmos. Toma os nossos talentos, não deixa que tentemos estudar para termos fama de sábios, mas que cada avanço no conhecimento ainda seja para te servirmos melhor.

Que nossa respiração seja para ti; que cada minuto seja usado para ti. Ajuda-nos a viver ocupados neste mundo como deve ser, pois para isso fomos chamados, e que possamos santificar o mundo para o teu serviço. Que possamos ser pitadas de sal espalhadas na sociedade. Que nosso espírito e comportamento, bem como nossos assuntos de conversa, combinem contigo; que haja uma influência de nossa parte sobre o mundo, que o tenha tornado melhor quando o deixarmos. Ouça-nos, Senhor, nestes pedidos.

E agora que sabemos que nos ouves, pedimos por este pobre mundo em que vivemos. Muitas vezes ficamos assustados com ele, e gostaríamos de não saber nada a seu respeito, para não nos inquietarmos. Ouvimos falar de opressão, roubos e assassinatos e homens que agem como animais selvagens. Senhor, tem misericórdia desta cidade tão imensa e ímpia. O que será de seus milhões de habitantes? O que podemos fazer? Ao menos ajuda cada filho teu a dar o melhor de si. Que nenhum de nós venha a contribuir para o mal, direta ou indiretamente, mas que colaboremos para o Bem.

Temos confiança de poder falar contigo agora sobre isso, pois quando teu servo Abraão esteve diante de ti e conversou contigo com uma maravilhosa intimidade, ele pediu por Sodoma; as- sim também nós pedimos por Londres. Seguindo o exemplo do Pai da Fé, oramos por todas as grandes cidades, e de fato por todas as nações. Que venha o teu reino. Envia a tua luz e a tua verdade. Afugenta o velho dragão do seu trono juntamente com sua corja infernal. Oh, que chegue logo o dia em que sobre toda a terra o Homem-menino, nascido de mulher, governará as nações não com um cajado quebrado, mas com um cetro de ferro, cheio de misericórdia mas também cheio de poder, cheio de graça, mas ainda irresistível. Que o Senhor venha logo! Ansiamos pelo triunfo milenial de sua Palavra.

Enquanto esse dia não vem, Senhor, cinge-nos para a luta, e coloca-nos entre os que "venceram por causa do sangue do Cordeiro e por causa da palavra do testemunho que deram, e mesmo em face da morte, não amaram a própria vida."(Ap 12.11).

Elevamos nossa voz a ti em oração, lembrando também todos os nossos entes queridos. Senhor, derrama a tua bênção sobre os enfermos e cura-os no momento certo para eles. Santifica-lhes tudo o que têm de suportar. Há também amados nossos que estão fracos, alguns mui trêmulos. Abençoa-os. Enquanto a tenda está sendo desarmada, que seu ocupante observe tudo com serena alegria, pois em breve seremos "revestidos da nossa habitação celestial."(2Co 5.2). Senhor, ajuda-nos a nos libertarmos de todas as coisas terrenas. Que vivamos aqui como estrangeiros e não façamos do mundo a nossa morada, mas uma hospedaria onde ceamos e nos alojamos, na expectativa de prosseguir a jornada pela manhã.


Senhor, salva os perdidos, e apresenta-nos, te rogamos, os que dentre eles se converteram mas não confessaram a Cristo. Que a igreja seja edificada por muitos que, tendo crido, são batizados no teu nome sagrado. Pedimos que multipliques os fiéis na terra. Oh, volta novamente os corações dos homens para o evangelho. Teu servo muitas vezes sente o coração pesar por causa dos que se desviam da fé. Traze-os de volta, Senhor; não permitas que Satanás arraste mais nenhuma estrela com sua cauda, mas que os luzeiros de Deus brilhem intensamente. O tu, que andas entre os sete candeeiros de ouro, aponta o pavio, abastece o óleo, e faz a luz brilhar com força e constância. Agora, Senhor, não podemos mais orar embora ainda tenhamos centenas de pedidos. Teu servo não pode mais, mas suplica que recebas esta petição contrita no trono da graça, com esta frase final: oramos no nome de Jesus Cristo, teu Filho. Amém.

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails