Home | C. H. Spurgeon | Log out

Venha para o Metropolitan Tabernacle

SpurgeonTv

segunda-feira, 6 de julho de 2015

De Spurgeon para a Suprema Corte Americana.( e de todas as nações ).

/ On : 15:57/ SOLA SCRIPTURA - Se você crê somente naquilo que gosta no evangelho e rejeita o que não gosta, não é no Evangelho que você crê,mas, sim, em si mesmo - AGOSTINHO.

( Foto da Suprema Corte  Americana – cores conforme os votos sobre a redefinição do casamento )


"A consciência é iluminada de maneira diferente em diferentes homens, e o apelo final quanto ao certo e errado, não pode ser a tua consciência meio cega pelo pecado ou a minha consciência."


Eu poderia condenar o que você permite e você dificilmente tolerar o que eu aprovo: mas nós não somos juízes nem de nós mesmos, mas ambos culpados sob o julgamento quando chegamos diante da Lei de Deus. O apelo final sempre será o "Assim diz o Senhor!" – isso é verdade para a própria lei que os homens estabelecem , - pois o “assim diz o Senhor”, é que é o único padrão perfeito pelo qual os atos e ações dos homens podem ser medidos.


A Palavra de Deus, a partir da supremacia deste texto por exemplo:

“E, se alguma pessoa pecar, e fizer, contra algum dos mandamentos do Senhor, aquilo que não se deve fazer, ainda que o não soubesse, contudo será ela culpada, e levará a sua iniquidade; E trará ao sacerdote um carneiro sem defeito do rebanho, conforme à tua estimação, para expiação da culpa, e o sacerdote por ela fará expiação do erro que cometeu sem saber; e ser-lhe-á perdoado” - Levítico 5:17,18


 Se levanta e nos diz: "Você não vai ser dispensado porque sua consciência não foi esclarecida ( ainda és totalmente culpado diante de Deus sem o sangue da expiação – o sangue de Cristo ). Você não vai ser dispensado da culpa porque é tão cego que diz que o amargo é doce, e o  doce amargo. Minhas exigências são as mesmas em cada jota e til, seja qual for a tua consciência – se ela te condenar ou permitir e aprovar."


A Consciência perdeu muito de sua sensibilidade através da Queda, e através de nossos pecados atuais e contínuos - mas a lei não foi reduzida para se adequar ao nosso entendimento corrompido. Se quebrarmos a lei, embora a nossa consciência possa não nos culpar, ou mesmo nos informar do mal, a ação ainda é registrada contra nós; e computada como nossa iniquidade.


A Lei de Deus ( Sua Palavra ) também é definida acima da opinião humana – um homem ou autoridades constituídas  dizem: "Você pode fazer isso",  mas a Lei não muda de acordo com o julgamento do homem e não se dobra ao espírito da época ou o gosto da cultura em que vivemos. Deus é o Juiz supremo, de cuja decisão infalível não há apelação. Certo é certo quer todos a condenem, e errado é errado,  embora o mundo todo possa aprovar.


A Lei é o equilíbrio do santuário com a precisão de um fio de cabelo, sensível, até mesmo para a pequena poeira presa nos nossos pés. As opiniões divergem continuamente, mas a lei de Deus é totalmente invariável. De acordo com a sensibilidade moral de um homem será sua estimativa do ato que ele executa, mas você imagina que a lei de Deus varia de acordo com o julgamento inconstante do homem? Se você aprova tal pensamento, saiba definitivamente que a sabedoria infinita de Deus o proíbe.


A lei é fixa, um padrão estabelecido, e se ficamos aquém disso, embora não o saibamos, ainda somos culpados e devemos mencionar a nosso pecado se desejamos que uma expiação seja feita. Deus exalta a lei infinitamente acima dos costumes das nações, épocas e culturas. Os homens são muito acostumados a dizer: "É verdade que eu fiz isso e aquilo, que eu não poderia defender como algo bom em si mesmo; mas, em seguida, este é o caminho do comércio e dos negócios, outras empresas fazem isso, a opinião geral e consentimento público endossaram o costume; Por conseguinte, não vejo como posso agir de forma diferente dos outros, porque, se eu fizesse isso, eu seria muito singular ( o que não seria tolerante ) e provavelmente seria um perdedor por causa do meu escrúpulo. "


Sim, mas os costumes dos homens não são a norma do que é certo. Onde eles já foram, em primeiro lugar, corretos através de uma forte influência cristã, a tendência é eles irem se deteriorando e afundando abaixo do padrão adequado e aceitável por Deus. Hábito, perpetuidade e universalidade de que é errado, finalmente permite que os homens chamem aquilo que é falso de verdadeiro, mas não há nenhuma mudança real no que aquilo é de fato: o costume errado ainda é errado, a mentira universal ainda é uma falsidade...


A lei de Deus não é alterada: nosso Senhor Jesus disse: "E é mais fácil passar o céu e a terra do que cair um til da lei.” -  Lucas 16:17 - A lei divina substitui costume, tradição e opinião: estes não têm mais efeito sobre o eterno padrão do que a queda de uma folha sobre as estrelas do céu. "Se alguma pessoa pecar, e fizer, contra algum dos mandamentos do Senhor, aquilo que não se deve fazer, ainda que o não soubesse, contudo será ela culpada, e levará a sua iniquidade"



Todos os costumes do mundo não podem fazer certo o errado, e se todo mundo que já viveu desde Adão até esta hora tivesse feito uma coisa errada e declarado que aquilo é certo e ela justa em fazer isso ou aquilo, isso não faria nenhuma diferença moral na ação. Mil culturas, gerações e séculos de aceitação de um erro,  não podem fazer do erro uma virtude. Os Mandamentos de Deus são firmes para sempre, e aquele que o quebrar deve suportar o que Deus estabeleceu. Assim você vê que na declaração do meu texto da lei de Deus,  está consagrado um lugar de reverência perpétua ao único Deus que se revelou nas Escrituras e em Seu Filho, Jesus.  ( Fim do texto de Spurgeon )

É triste, mas essa verdade tem sido perdida mesmo entre muitos que se dizem cristãos. Essa verdade, como é óbvio, se aplica a qualquer coisa - em nossas vidas, igreja... que achamos que podemos definir ou redefinir segundo nossas opiniões, gostos, preferências...  em abraçamos toda a Verdade - ou perdemos a Verdade.

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails